COMUNICADO: Dia 17 de Outubro, movimentos sociais da plataforma “Resgatar o Futuro, Não o Lucro” voltam a sair à rua, em Lisboa e Guimarães, por direitos básicos incondicionais

Trinta e seis colectivos e associações de vários sectores, convocam para 17 de Outubro nova manifestação para Lisboa e Guimarães, exigindo serviços básicos incondicionais e um plano massivo de empregos para salvar as pessoas e o clima.

*

Depois de no dia 6 de Junho ter trazido à rua milhares de pessoas, em convocatória conjunta com colectivos anti-racistas na onda de protestos Black Lives Matter, a plataforma de movimentos sociais “Resgatar o Futuro, Não o Lucro”, com 36 organizações subscritoras, volta a agendar protestos em Lisboa e Guimarães.

Rejeitam “a miséria como inevitabilidade” e pretendem que  “a reconfiguração necessária da economia para o cuidado da vida”, que os direitos básicos, que consideram ameaçados, sejam garantidos à totalidade da população. No manifesto são enumeradas as reivindicações: acesso incondicional a saúde, habitação, alimentação, água e energia, ensino gratuito, acesso a meios digitais, e luta activa contra o racismo, o autoritarismo e a violência estrutural sobre pessoas racializadas e pobres. Preconizam ainda uma transição energética justa, para combate à crise climática através da criação de centenas de milhares de empregos em serviços públicos essenciais.

“As desigualdades que já existiam e suportam o sistema económico em que vivemos foram agravadas, em muitos casos de forma crítica, com a crise de saúde pública deste ano. Mais uma vez, são as pessoas mais pobres e que já eram discriminadas a arcar com as mais gravosas consequências destas crises, enquanto os milionários ficam ainda mais ricos e isto é inadmissível. Toda a gente tem direito a levar uma vida digna” sustenta Manuel Araújo, da organização.

Estão confirmadas duas localidades em que vai ocorrer o protesto no dia 17 de Outubro.
Em Guimarães, a manifestação terá início pelas 16:30 na Câmara Municipal e terminará no Largo do Toural.
Em Lisboa, o protesto está marcado para as 16:00 na Praça José Fontana e daí seguirá para o Rossio.

Este é em Portugal o terceiro momento de mobilização integrado na chamada à acção europeia Climate Care Uprising, depois da Mobilização Climática Global de 25 de Setembro e da acção “Nós Somos os Anti-Corpos” de 5 de Outubro.

Segue-nos nas redes sociais: