COMUNICADO: Dia 17 de Outubro, plataforma “Resgatar o Futuro, Não o Lucro” organiza protesto em Lisboa, Porto e Guimarães, por direitos básicos incondicionais

Manifestações “Resgatar o Futuro, Não o Lucro” em Lisboa, Porto e Guimarães, convocadas por cerca de quarenta organizações para 17 de Outubro, reivindicando serviços básicos universais e empregos públicos para “reconfigurar a economia para o cuidado da vida”.

*

O manifesto “Resgatar o Futuro, Não o Lucro”, de cariz anti-capitalista e que se apresenta como “o movimento dos movimentos”, reúne como subscritoras cerca de quarenta quarenta organizações, entre as quais colectivos feministas, antifascistas, anti-racistas, contra a precariedade, pela justiça climática e pela habitação. A plataforma agendou para o próximo sábado, 17 de Outubro, novos protestos em três cidades: Lisboa, Porto e Guimarães.

A crise sanitária que agravou o desemprego, que causou uma queda inédita no PIB e que afecta diariamente com maior dureza as camadas mais pobres e desprotegidas da sociedade motivou a união de colectivos e movimentos sociais de áreas distintas, em torno do mesmo apelo a que o erário público seja aplicado na garantia de “planos reais e de apoios reais a milhões de pessoas”, de direitos e respostas às necessidades básicas, de forma incondicional, e nas condições de habitabilidade do planeta, ao invés da salvaguarda de interesses económicos de empresas privadas.

No manifesto são enumeradas as reivindicações: acesso incondicional a saúde, habitação, alimentação, água e energia, ensino gratuito, acesso a meios digitais, e luta activa contra as discriminações, o racismo, o autoritarismo e a violência estrutural sobre pessoas racializadas e pobres. Preconizam ainda uma transição energética justa, para combate à emergência climática através da criação de centenas de milhares de empregos em “serviços públicos essenciais que garantam soberania e democracia produtivas”.

Com respeito ao impacto do estado de calamidade decretado em todo o país nos protestos, a organização das mobilizações assegura que existirá uma equipa de cuidados que disponibilizará gel desinfectante e assegura que todos os participantes usam máscara e mantêm a distância social recomendada ao longo do percurso.

Este protesto está integrado na onda de mobilizações da plataforma By 2020 We Rise Up.

O protesto de sábado, 17 de Outubro, ocorrerá em três cidades:

Em Guimarães, a manifestação terá início pelas 16:30 na Câmara Municipal e terminará no Largo do Toural.

Em Lisboa, o protesto está marcado para as 16:00 na Praça José Fontana e daí seguirá para o Rossio.

No Porto, a concentração está agendada para as 16:00 no Jardim da Cordoaria.

Segue-nos nas redes sociais: