Wrap-up: 17 de Outubro | Resgatar o Futuro, Não o Lucro

A crise sanitária que agravou o desemprego, que causou uma queda inédita no PIB e que afecta diariamente com maior dureza as camadas mais pobres e desprotegidas da sociedade motivou a união de colectivos e movimentos sociais de áreas distintas, em torno do mesmo apelo a que o erário público seja aplicado na garantia de “planos reais e de apoios reais a milhões de pessoas”, de direitos e respostas às necessidades básicas, de forma incondicional, e nas condições de habitabilidade do planeta, ao invés da salvaguarda de interesses económicos de empresas privadas.

Para reivindicar serviços básicos universais e empregos públicos para “reconfigurar a economia para o cuidado da vida”, dezenas de organizações de sociedade civil organizaram protestos em Lisboa, no Porto e em Guimarães no dia 17 de Outubro de 2020, em pleno estado de calamidade social e climática.

Em Lisboa, mais de cem pessoas manifestaram-se da Praça José Fontana até ao Rossio, onde houve discursos por várias organizações.

No Porto, foi organizada uma concentração no Jardim da Cordoaria. A organização em Guimarães, zona muito afetada pela pandemia, optou por uma Assembleia Popular com diversos ativistas empunhando cartazes e faixas em frente à Câmara Municipal.

 


Mais fotos da manifestação em Lisboa

Segue-nos nas redes sociais: